Automação e o agronegócio

Nas últimas décadas, o agronegócio brasileiro tornou o país um dos líderes no cenário de segurança alimentar internacional e a automação teve um papel fundamental nessa liderança, pela forte influência nos setores agroquímicos e o de máquinas agrícolas que, por sua vez, alavancaram o setor rural, o qual no ano de 2017 correspondeu a 23,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

Seguimentos:

Alguns dos principais seguimentos que atendem o agronegócio são: seguimento de partes e peças e o de fabricante de implementos agrícolas. O seguimento de partes e peças atua em diversos mercados, testa e implementa novas tecnologias e depende da demanda para atuação especializada na área rural, como por exemplo o agropecuário.
O setor de implementos, se desenvolveu atendendo agricultores que possuíam um número elevado de mão de obra com baixa qualificação técnica. Esse setor, se desenvolvendo em conjunto com pequenos e médios produtores, foi percebido que a maior parcela deles não possuem à sua disposição uma equipe com capacidade para desenvolver tecnologias, como uma eletrônica embarcada compatível com a que as indústrias de máquinas pesadas possuem.  Processos de plantio, manejo de ervas daninhas, fertilização, irrigação e colheita continuam demandando adaptação de máquinas, equipamentos e automação.

A questão é que há redução cada vez mais de mão de obra em diferentes atividades no campo, o que acaba prejudicando a implantação de automação em maior escala, um cenário comum nos países desenvolvidos. Essa questão, pode ser conciliada com técnicas modernas de uso eficiente de insumos e recursos naturais (água e solo) de imensa relevância para manter a competitividade e sustentabilidade do setor.

A agropecuária brasileira, tem seu crescimento ocupado em lugar de destaque na esfera mundial. A automação nesse setor, em regiões detentoras de tecnologias de ponta, como EUA e UE, é muito variada. Sistemas de ordenha robotizada, sistemas de distribuição de ração autônoma, balanço nutricional e entre outros, são exemplos de tecnologias que já estão disponíveis aos produtores.

No Brasil, pode-se dizer que o custo benefício ainda não é percebido por grande parte dos produtores para que invistam nesse tipo de modernização. Apesar de disponível, a tecnologia de automação ainda não foi absorvida pelo mercado brasileiro. Estufas e criadouros automatizados ainda não fazem parte da realidade no país. É uma área que  precisa ser discutida, incluindo setores de peças, serviços e consultoria. Nesse sentido, a avicultura tem recebido maior apoio.

Vantagens de se automatizar seu agronegócio:

Ao longo dos anos, o setor agropecuário vem passado por muitas mudanças, inclusive a respeito da disponibilidade de mão-de-obra. Num cenário cada vez mais urbano, o êxodo rural levou muitas pessoas do campo e manter as que restaram será um grande desafio pro futuro.

Aumentar o rendimento do trabalho no campo, reduzir a penosidade e aumentar a qualidade nas atividades agropecuárias é estratégico para garantir a sustentabilidade e o rendimento do agronegócio. E é exatamente neste ponto que a automação entra em cena, para fins de competitividade e também para garantir o futuro da segurança alimentar e da agroenergia mundial.

O ramo da automação agropecuária se define por um sistema cujo os processos operacionais de produção agrícola, pecuária e/ou florestal são monitorados, controlados e executados por meio de máquinas e ou dispositivos mecânicos, eletrônicos ou computacionais, para ampliar a capacidade de trabalho humano.

Tal ramo, tem por objetivos e vantagens:

• Aumentar a produtividade do sistema e do trabalho.

• Otimizar o uso de tempo, insumos e capital.

• Reduzir perdas na produção.

• Aumentar a qualidade dos produtos.

• Melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores da lavoura.

Tanto a automação industrial quanto a automação comercial podem se encaixar no ramo, devido a uma ampla gestão que este possui, em áreas interligadas.

A seguir, conferimos alguns projetos eficientes já desenvolvidos para o agronegócio que vem ganhando bastante mercado:

• Agricultura de precisão
A automação se tornou bem sucedida, principalmente, na agricultura de precisão que consiste em um sistema de gestão que leva em conta a mutabilidade espacial da lavoura para aumentar o retorno econômico e reduzir o impacto ambiental, através de aplicação de ferramentas como a eletrônica embarcada em máquinas agrícolas e sistemas de  informação geográfica.

• Adubação
É de conhecimento, que a matéria orgânica não deve ser removida da terra pela sua atuação na proteção e nutrição do terreno. A aplicação de adubo na medida certa, é um dos benefícios que a automação trouxe para o campo, através de medições dos micro e macro nutrientes presentes no solo, tudo extremamente calculado. Os equipamentos de medição fazem a primeira etapa e um software de integração relaciona os dados para que ocorra ações corretivas.

• Rastreamento
Perguntas como: como está o silo e a produção? Qual tempo gasto, em média, para que escoação do produto chegue aos pontos de venda e seja vendido ou, ainda, em valores quantitativos quanto se perde nesse processo? Esses tipos de pergunta, eram difíceis de serem respondidas em propriedades de média e larga escala, mas que hoje em dia é diferente. A rastreabilidade, é mais uma das mudanças trazidas pela automação para o meio rural, fornecendo ao produtor agrícola informações atualizadas, organizadas e simples de analisar. Com ferramentas como o caderno de campo digital, o planejamento de plantio, colheita, armazenamento e escoamento se torna muito mais eficiente todo o processo.

• Software

Os softwares, podem ser a aplicados em diversos setores do agronegócio, dependendo da sua demanda e finalidade. A própria empresa Autojun, já desenvolveu um software para uma empresa da área de agronegócios que possuía ineficiência no controle financeiro, e a solução encontrada foi a criação de um sistema de controle financeiro e comercial na empresa, onde são gerados formulários e armazenamento de contratos que foram realizados.

Portanto,  com esse vasto leque de tecnologias já disponíveis para elevar a qualidade do setor, inúmeros aspectos devem ser considerados para obter um processo sustentável tanto econômico, como ambiental e social e o grande papel da automação é atuar nesses pontos e desenvolvê-los com qualidade.
Na era da internet, onde redes sociais, computação nas nuvens, Big Data, Internet das coisas, entre outras tecnologias que têm dominado a inovação da sociedade, a produção agropecuária, como um sistema distribuído em todo o território nacional em várias cadeias, apresenta-se como um dos maiores beneficiários potenciais dessa automação.
A ideia da conexão das informações de mercado, do clima, das tecnologias entre outros, é um modelo conceitual, mas fornece luz às possibilidades e demandas reais pontuais das cadeias agropecuárias. Torna mais claro o papel da automação e da padronização em pontos chaves da integração, incluindo a robótica.

Podemos dizer que é indispensável o uso de soluções personalizadas e automatizadas para o setor primário, para sua própria sustentação e desenvolvimento em diversos aspectos que tragam benefícios múltiplos no cenário nacional e mundial.